RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

terça-feira, 14 de junho de 2016

-QUE CULTURA!

HERRAR É UMANO

Queda de Cunha provocaria “terremoto” em Brasília

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato, em Curitiba, admitiu em entrevista ao Estadão que “é sim possível e até provável” que acabem com a operação. Para Dallagnol, pessoas “poderosas e influentes da República” tramam contra as investigações.
Em Brasília, segundo parlamentares com informações de bastidores, as articulações se concentram no momento para evitar que o presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, perca o foro privilegiado.
O temor é que, caso a Câmara casse o mandato de Cunha, o peemedebista decida fazer um acordo de delação premiada para escapar da “pena pesada” do juiz Sergio Moro.
Informação publicada na coluna de Andreza Matais e Marcello de Moraes, no Estadão, revela os motivos do medo de parlamentares e do governo Temer. “Eduardo Cunha mandou avisar a Michel Temer que, se não for salvo, leva com ele para o fundo do poço 150 deputados federais, um senador e um ministro próximo ao interino”.
O senador Jorge Viana (PT) diz que uma possível delação premiada de Cunha, “enterraria” o governo de Temer. “Se Eduardo Cunha decidir ser delator, ele será o maior delator e vai enterrar a nova República, o governo Temer”, afirmou Viana na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.
Analistas também veem potencial de estrago irreparável caso Cunha decida contar um pouco do que sabe. “Se acontecer, as delações anteriores parecerão fichinha. O potencial de estrago de uma possível delação do Cunha é enorme”, diz o comentarista econômico do programa Manhattan Connection, Ricardo Amorim.
A previsão do procurador Dallagnol, que podem acabar com a Lava Jato, se baseia nesse contexto da crise política. Diante de ameaças, como a da possível delação de Cunha, há a possibilidade de forças políticas se unirem para bloquear a operação. Assim, se salvariam todos.
Críticos de algumas ações da força-tarefa veem risco de ocorrerem “vazamentos seletivos” em uma eventual delação de Cunha. Esse procedimento ilegal poderia comprometer alguns envolvidos e proteger outros.
O Conselho de Ética da Câmara marcou para esta terça-feira (14) a votação para decidir sobre o pedido de cassação de Cunha por quebra de decoro parlamentar.

sexta-feira, 10 de junho de 2016

NAVALHA NA CARNE

Governo anuncia corte de mais de 4 mil cargos
Governo anuncia corte de mais de 4 mil cargos (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O governo Federal anunciou nesta sexta-feira (10), o corte de mais de 4 mil cargos em comissão e funções gratificadas existentes no executivo federal. A novidade foi anunciada pelo ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira. Ao todo 4,307 cargos estão na lista. As informações são do UOL. 
Outros 10,4 mil cargos em comissão que hoje podem ser oferecidos a qualquer pessoa pelos ministérios, a partir de agora só poderão ser dados a servidores concursados.
O decreto com a medida será publicado ainda hoje (10) em edição extraordinária do Diário Oficial da União, que trará o detalhamento dos cortes e das conversões de cargos por pasta.
(DOL com informações do UOL)

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Oito policiais foram mortos no Pará até maio

Oito policiais foram mortos no Pará até maio (Foto: Antonio Melo)
Os 6 primeiros meses deste ano engrossaram as estatísticas da violência contra agentes da segurança pública do Estado. Policiais militares, civis, bombeiros e até da esfera federal foram alvos de ações criminosas que resultaram em tiroteio e mortes. De acordo com a Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiros Militar do Pará (ACSPMBM/PA), até o mês de maio, 8 agentes foram assassinados e, até ontem, 7 baleados. O mais recente foi o caso do Cabo da PM, Joelson da Silva Souza, atingido com um tiro no abdômen, durante assalto no centro de Belém. Ele segue internado em estado grave desde a 
última terça-feira (7). 

DURA REALIDADE

A realidade da violência bateu à porta de quem deve proteger. “No momento de descanso, ou mesmo enquanto trabalhamos, nos tornamos alvo dessa epidemia que está alastrada no Estado e que tentamos combater”, avalia o sargento Paulo, diretor administrativo da Associação. A violência não faz distinção de profissão”, diz. Segundo Paulo, os relatos de violência afloram na categoria. 
O diretor da Associação dos Cabos e Soldados explica que a Lei de Organização Básica da Polícia Militar prevê o efetivo ideal de 31.700 militares distribuídos no Pará, para atender a demanda. No entanto, atualmente, cerca de 14 mil estão na ativa. “Há falta de recursos, reajuste salarial efetivo, moradia e carga horária exaustiva”, critica. “Na verdade, é um conjunto de fatores que tem deixado todos desmotivados”, detalha o representante da categoria, indignado.

A MAÇONARIA SE MEXE!!!


CONFEDERAÇÃO MAÇÔNICA DO BRASIL CONDECORA O EXMO. SR. JUIZ SÉRGIO MORO COM A COMENDA NO GRAU DE GRÂ-CRUZ

A Comenda no Grau de Grã-Cruz, instituída pela Confederação Maçônica do Brasil - COMAB, é a mais alta condecoração concedida à pessoas físicas e jurídicas que, de alguma forma, tenham desenvolvido projetos ou ações que contribuíram para conscientização e/ou erradicação da corrupção e para a conscientização da ética e da moralidade.

Na última segunda-feira, 06 de junho, uma comitiva da COMAB, representada pelos Irmãos João Krainski Neto (Presidente da COMAB), Cristian Flores, Jürgen Pfitzner e Roberto Fonseca (Grandes Secretários do Grande Oriente do Paraná), Ivo Moreira de Araújo, Rogério da Cruz Carvalho e o Sr. Claudio Wiegratz Tavares (representando o movimento “Cidadão Alerta”), foi recebida por Sua Excelência Juiz Federal Sérgio Fernando Moro, na sede do Tribunal de Justiça do Paraná, ocasião em que lhe foi entregue a referida comenda.

O Sereníssimo Grão-Mestre do Grande Oriente do Paraná e atual Presidente da COMAB, Irm. João Krainski Neto, fez questão de enfatizar que ele, o Exmo. Sr. Juiz Sérgio F. Moro, fez renascer no povo brasileiro a esperança, quase extinta, de que ainda podemos nos orgulhar da existência de brasileiros corajosos, competentes e sérios, que se fazem respeitar e são respeitados e temidos pelos corruptos e usurpadores do poder. Que a Confederação Maçônica do Brasil – COMAB, sempre esteve e estará pronta para apoiar e defender as justas ações que nossa Pátria necessitar.

A Comitiva ainda fez chegar às mãos do Exmo. Sr. Juiz Sérgio F. Moro uma grande quantidade de moções de apoio, oriundas das Lojas jurisdicionadas ao Grande Oriente de Minas Gerais e uma Comenda outorgada pelo Grande Oriente Independente do Rio de Janeiro.

Sua Excelência agradeceu a visita da Comitiva e o apoio recebido por parte dos maçons brasileiros. Disse ainda da sua satisfação pelas condecorações a ele outorgadas e ressaltou a intenção que move a Justiça Federal de “passar o Brasil a Limpo”.


Grande Oriente do Paraná
Grande Secretaria de Imprensa
_____________
Colaboração: Eloy Neto (Advogado)

Polícia descobre fazenda gigante de Dilma no Mato Grosso

009
No dia 03/02/2015 um jato pousou as 23:00 horas no aeroporto de Primavera do Leste MT, abriram o cartório a meia noite com nada menos nada mais que a Sr. Dilma a sua filha, sobrinho e empresários.
A presidente precisou de testemunhas na documentação das terras e os corretores são da região.
Saíram as duas da madrugada com todos os documentos assinados e reconhecido Firma.
Nossa presidente comprou nada mais nada menos do q duas das maiores fazendas do Mato Grosso.
Fazenda Ibere que era do grupo Sabo e a fazenda IBF foram compradas pela presidente Dilma.
Sendo que uma ficou em nome de seu sobrinho e a outra em nome da sua filha com parceria com dois laranjas na documentação.

Correa promete reação dura do Equador se Dilma for destituída

"Se a presidente democraticamente eleita, Dilma Rousseff, for afastada definitivamente de seu cargo, pelo menos o Equador reagirá com maior radicalidade", disse Correa em um encontro com a imprensa estrangeira.
"O que está acontecendo no Brasil é muito grave para o Brasil, mas para a democracia na região é um precedente funesto", acrescentou.
Em maio, Quito chamou para consultas seu embaixador no Brasil, Horacio Sevilla, e emitiu um comunicado no qual apelou à "plena vigência e preservação" da ordem constitucional naquele país.
"Nós tomamos algumas medidas e eu penso que a Unasul (União de Nações Sul-americanas) reagirá mais radicalmente quando acabar o devido processo", disse Correa, avaliando que "não há nenhuma acusação concreta" contra Dilma Rousseff.
A presidente, acusada de "crime de responsabilidade" por encobrir déficits orçamentários, foi afastada temporariamente pelo Senado em 12 de maio para ser submetida a um julgamento político no qual poderá ser destituída.
"Não se pode destituir uma presidente democraticamente eleita com mais de 50 milhões de votos e com grande maioria no Congresso, no Senado e mais ainda com a traição do vice-presidente e seu partido", afirmou o presidente equatoriano.
Dilma Rousseff foi substituída interinamente pelo vice-presidente Michel Temer, que concluirá o mandato em 2018, caso ela seja destituída.
O processo de impeachment foi autorizado por mais de dois terços da Câmara e avalizado por mais da metade do Senado.
Remendo RP
Muito interessante esse tipo de declaração de um crápula que dirige a democracia(?) Equatoriana com punhos de ferro, subestimando a potencia em todos os sentidos que o Brasil exerce na America do Sul. -Somente o 1o. BIS de Manaus acabaria com essas republiquetas de quinta, como Venezuela, Equador, Bolivia. - Sai prá lá cão banguela! 
Esse Filho de Puta Equatoriana nao cuida nem do país dele vem se intrometer em nossa soberania.

terça-feira, 7 de junho de 2016

Irmão de Pikachu tenta assaltar PM e leva 3 tiros

Irmão de Pikachu tenta assaltar PM e leva 3 tiros (Foto: Divulgação)
Um sargento da Polícia Militar (PM) reagiu e escapou de um assalto, em Belém, ontem à tarde. Durante a ação, o PM baleou um dos assaltantes. O nome do criminoso ferido é Pedro Pereira Lisboa, 22 anos. Ele levou 3 tiros do PM e, ao ser detido, disse que era irmão do jogador Yago Pikachu, do Vasco da Gama, e filho do sargento Carlos Lisboa, também da PM.
Para esclarecer o caso, o DIÁRIO tentou falar com Pikachu - cujo nome é Yago Lisboa - e com o pai do jogador, o sargento Lisboa. A assessoria de imprensa do craque disse que ele não falaria sobre o assunto. Mas o pai do jogador concedeu uma entrevista exclusiva ao DIÁRIO, por telefone, explicando toda a situação:
“Pikachu não tem nada a ver com isso”
O DIÁRIO conversou, por telefone, com o pai de Pikachu, o sargento Carlos Lisboa, da PM, para esclarecer o caso. Confira a seguir:
DIÁRIO: O senhor é pai de Pedro Lisboa, o rapaz que tentou assaltar um PM? Lisboa: Não sou o pai dele.
DIÁRIO: Mas seu nome aparece como pai, em todos os documentos de Pedro. Lisboa: É que, no papel, eu sou pai. Mas, na prática, não.
DIÁRIO: Como assim? Lisboa: Nos anos 1990, eu tive um caso com a mãe desse rapaz. Na época, ele tinha uns 3 anos, mas não tinha registro, não estudava. Eu quis ajudar e resolvi registrar a criança.
DIÁRIO: O senhor sabia que ele tinha envolvimento com crimes?
Lisboa: Não. Eu me afastei da mãe dele há muito tempo. Hoje, só quero saber da minha família, minha mulher e meus 2 filhos, Pikachu e a irmã dele.
DIÁRIO: Por que o senhor acha que Pedro citou o senhor e Pikachu logo após ser baleado pela polícia? Lisboa: Acho que ele queria usar o meu nome, que sou sargento da PM, e o de Pikachu para se livrar da PM.
DIÁRIO: O senhor pensa em ajudar Pedro?
Lisboa: Se ele escolheu esse caminho do crime, é problema dele. Eu só quero cuidar da minha família. Pikachu não tem nada a ver com isso tudo.
A OCORRÊNCIA
A tentativa de assalto aconteceu por volta das 13h30, quando o PM - que não quis se identificar - estava em um lava-jato, no bairro da Sacramenta. “Foi quando dois jovens se aproximaram, numa moto, e anunciaram o assalto”, disse o policial. “Eles queriam que eu entregasse meu cordão de ouro”. Segundo o PM, um dos criminosos estava armado.
“De repente, uma arma já estava apontada para a minha cabeça. A única reação que tive foi de me defender”, lembrou o sargento. O também sargento Balbino, do 1° Batalhão da PM fez parte da ação policial realizada logo após o episódio. Balbino disse que, quando sua equipe chegou ao local, Pedro Lisboa já estava baleado. “Ele foi levado ao Hospital Metropolitano de Ananindeua”.
Balbino acionou uma ambulância do Samu, que socorreu o assaltante. A arma que Pedro portava - um revólver 38 - foi apreendida e levada à Seccional da Sacramenta, onde o caso será investigado. De acordo com o Boletim de Ocorrência, Pedro Lisboa é foragido do Sistema Penal e responde por crimes de latrocínio, homicídio e roubo. Até o fechamento desta edição, a assessoria do hospital não havia informado o estado de saúde dele.
(Celso Rodrigues/Diário do Pará)

-QUE CULTURA!!!


Temer cortou até o almoço de Dilma', diz Lula no Rio

Na primeira manifestação pública após o impeachment, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reclamou dos cortes na alimentação e nas viagens em aviões da FAB, decididos pelo governo do presidente em exercício, Michel Temer, em relação à presidente afastada Dilma Rousseff. Mas reconheceu falhas na gestão da sucessora e disse esperar que ela volte ao cargo. “Não estou dizendo que Dilma não cometeu erros, cometeu. Mas queremos que ela volte para corrigir os erros que cometemos”, disse.
No discurso, Lula fez poucas referências à sucessora. “Temer deu um golpe não na Dilma, mas na decisão do Senado que o colocou como interino. Temer não tinha o direito de fazer o que fez. Ele cortou até o almoço da Dilma. Amanhã vamos comer marmitex”, ironizou o ex-presidente, em ato organizado por centrais sindicais no centro do Rio.
Segundo Lula, as medidas adotadas contra Dilma, como a restrição ao uso de aviões oficiais, “não vão impedir (a presidente afastada) de sair pelo País para denunciar esse governo”. Mais magro e com voz ainda mais rouca que o habitual, Lula avaliou que tem uma “dívida com a sociedade brasileira”, mas evitou se posicionar sobre as eleições de 2018. “Estão me acusando de tudo quanto é nome, divulgando as bobagens que falo. É medo de eu voltar. Ainda é muito cedo para pensar em 2018. Já estou com idade de me aposentar. Mas não pensem que vão destruir aquilo que nós construímos”, afirmou.
Lula criticou a escolha do ministério do governo provisório, acusando a suposta influência do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Ele ironizou manifestantes pró-impeachment. “Os coxinhas agora estão com vergonha por que foram para a rua bater panela e o resultado não foi um risoto, foi Temer. Os coxinhas sabem que o ministério de Temer é o ministério do (Eduardo) Cunha. Mas sempre haverá nesse País mais gente de cabeça erguida, decente, do que coxinhas.”
Na única referência direta à Lava Jato, o ex-presidente indicou que a operação “submeteu os petroleiros a condições humilhantes”. Lula afirmou que ter sido o presidente que mais investiu na companhia e que a descoberta do pré-sal foi “seu maior orgulho como presidente e como cidadão”.
O petista também afirmou que a “elite nunca aceitou a Petrobras” e teceu diversas críticas às “elites”, discurso comum em seu governo. “A elite brasileira, incompetente para governar este País, achava que tudo iria se resolver se a gente vendesse as empresas. Eu queria provar que o peão seria capaz de pensar politicamente o Estado brasileiro melhor do que toda a elite”, completou.
Lula defendeu ações de seu governo junto ao BNDES e demais bancos públicos. O ato “Se é público, é para todos” defendeu a mobilização da sociedade contra a privatização de empresas e serviços públicos, além de criticar a agenda econômica do governo Temer. A manifestação ocorreu na Fundição Progresso, na Lapa, região central do Rio, com público reduzido apesar do acesso liberado. Não houve estimativa de quantas pessoas estiveram no evento.
yahoo

MIMOS NO CONSELHO DE ÉTICA EM BRASILIA

Em Conselho, deputados se xingam de 'ladrão safado', 'vagabundo', 'bandido'

Alan Marques/Folhapress 

Exaltado, o deputado Wladimir Costa (SD-PA) discute na Câmara





Durante a discussão do relatório de cassação do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), os deputados Zé Geraldo (PT-PA) e Wladimir Costa (SD-PA) bateram boca em uma discussão acalorada, na qual Wladimir chamou o colega de "vagabundo", "bandido" e "ladrão safado".


A discussão começou depois que Zé Geraldo pediu a palavra para dizer que Wladimir Costa foi denunciado à Justiça sob suspeita de desviar salários de seus assessores para seus irmãos e também por supostas irregularidades no recebimento de recursos por uma ONG ligada a ele.



"O deputado Wladimir, nem se lavar a boca com soda cáustica durante uma semana, ainda ele não pode falar mal do PT e da presidente Dilma. Esse parlamentar no Pará tá mais sujo que pau de galinheiro", afirmou Zé Geraldo.



Ao pedir a palavra para rebater, Wladimir se exaltou: "O senhor é vagabundo, bandido". Zé Geraldo tentou interromper, mas Wladimir continuou: "Cala a tua boca, vagabundo. Você é ladrão safado".



O petista afirmou que não está denunciado à Justiça e rebateu chamando o adversário de "picareta".



Ao fim da discussão, o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) comentou ironicamente: "Estamos no Conselho de Ética".



Wladimir Costa é contra a cassação de Cunha, enquanto Zé Geraldo é favorável. A discussão ocorreu antes do início da votação do parecer sobre o presidente afastado da Câmara.