RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

quinta-feira, 30 de junho de 2011

PENINHA DISTANCIA-SE DE CLIMACO E PODE ABRIR SUA CAIXA DE PANDORA

PENINHA PODE USAR OS MALES DE SUA CAIXA DE PANDORA
Itaituba - O inevitável aconteceu. Com tantas estripulias politicas e politicagens rasteiras do governo municipal, que a cada dia fica mais distante do povo, o Vereador Peninha, não tendo mais argumentos convincentes para liderar no parlamento o fracassado Governo de Valmir Climaco dado a falta dessa estratégia de apoio, deverá deixar de ser o líder do governo junto ao Parlamento Municipal.

O que causa susto ao Prefeito, é que Peninha tem um vasto manancial que pode ser usado na condição de fogo amigo como ja ocorreram algumas vezes em gestões anteriores, através do "ternurinha" e que poderá deixar Valmir insone e com a cabeçorra maior do que é, para tanto Valmir não quer criar problemas com Peninha e deve oferecer dentro do governo novas importantes missões, para seu fiel, mas, condicional aliado que rebela-se neste momento em que o governo se fragiliza ainda mais nos embates na Câmara de Vereadores.

Por outro turno, deve dar animo ao prefeito a certeza que pode oferecer outras compensações$ ao muy amigo que é exigente em demasia e contém em sua Caixa de Pandora, muitos males que malinam, atormentam e adoecem moralmente um pobre mortal como Valmir que politicamente ao invés de mostrar trabalho em defesa dos munícipes, vagueia fazendo assombração pensando que administra progressos para o município.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

CÉSAR AGUIAR SE MEXE


CÉSAR AGUIAR FAZ PEREGRINAÇÃO INTERIORIZANDO  SEU TRABALHO DE VEREADOR E COLHE FRUTOS POLITICOS
Itaituba - César Aguiar Vereador do Município e decantado em prosa e verso pela população, como candidatíssimo a prefeito em 2.012, interioriza suas ações como parlamentar  estreitando laços fraternais e políticos  em algumas comunidades localizadas no raio de influencia da BR 163 como Moraes  Almeida, Jardim do Ouro, Creporizinho, Crepoirizão   além de núcleos humanos intermediários.
Desenvolvendo atividades parlamentares, Cesar Aguiar e sua equipe, entre esses o empresário do ramo de drogaria Polia fizeram varias reuniões com os interioranos   discutindo  estudos de alternativas administrativas para suporte em desenvolvimento da região;  uma dessas alternativas, foi o apoio que o parlamentar deu aos comunitários de Moraes Almeida que sonham com a emancipação politica daquele distrito. Aguiar argumentou que a criação de um novo município como Moraes Almeida projeta-se como um grande suporte de desenvolvimento econômico em social para a região, e comprometeu-se a defender o ideal daquele povo.
Sua jornada em busca de maior projeção politica para a investidura como prefeito, mostra um Cesar Aguiar agindo não em campanha e sim no pleno exercício de suas funções como Vereador e isso é louvável.
Enquanto outros nomes se configuram em meio a especulações, Cesar Aguiar através de seu trabalho mostra que está dando vasão a anseios de parte da população.
Foi dada a  largada para a corrida a PMI-2.012.

terça-feira, 28 de junho de 2011

MÃE É MÃE... SOGRA É SOGRA!

O rapaz chega em casa muito animado e diz para sua mãe que se apaixonou e quer se casar.. 
A mãe inicia uma série de perguntas e ele faz a seguinte proposição:
 - Mãe, por brincadeira, vou trazer aqui amanhã três mulheres e você irá tentar adivinhar com qual delas eu irei me casar.
A mãe acaba por concordar com o teste.
No dia seguinte, ele traz à sua casa três mulheres lindíssimas.
Elas sentam-se no sofá e ficam conversando com a mãe do rapaz durante um bom tempo.
 Depois de horas de conversa entre elas, o rapaz chega e pergunta:
- Então mãe, você é capaz de adivinhar com qual eu vou me casar?
A mãe responde imediatamente:
- Com a do meio.
O rapaz fica surpreso e pergunta:
- É incrível mãe. Você acertou! Mas como é que adivinhou?
A mãe responde:
- Não gostei dela..

Enviado por Jorge Umberto

segunda-feira, 27 de junho de 2011

TERRA LEGAL EM SANTARÉM: EQUÍVOCO DE COMPETÊNCIA OU O QUÊ?

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NA AMAZÔNIA LEGAL É PARA REGULARIZAR POSSEIROS QUE OCUPAM ÁREAS EM TERRAS DEVOLUTAS DA UNIÃO – O PROGRAMA TERRA LEGAL EM SANTARÉM FAZ O CONTRARIO – DESENVOLVE SUAS ATIVIDADES EM TERRAS DESAPROPRIADAS PELO INCRA.
Divisão de Regularização Fundiária na Amazônia Legal em Santarém – TERRA LEGAL está cadastrando posseiros e reconcentrando áreas visando à Regularização Fundiária, em áreas de assentamento encravadas no Polígono Desapropriado de Altamira; terras que o INCRA – Desapropriou no ano de 1971, pagando uma parte em TDA’s (Títulos da Dívida Agrária) outra parte em moeda corrente. Trata-se de áreas desapropriadas para assentar famílias no modelo de Colonização Oficial e outras modalidades de Projetos de Assentamento, a Lei 4.504 de 30 de novembro de 1964 (Estatuto da Terra) dispõe dentre outras, que as terras adquiridas mediante desapropriação por interesse social (como no presente caso) devem necessariamente ser distribuídas sob a forma de propriedade familiar.

Vale ressaltar que as terras situadas no denominado Polígono de Altamira, foram desapropriadas pelo INCRA, em cumprimento as disposições contidas dos Decretos 67.557/70 e 68.443/71, para fins de Reforma Agrária não podendo ter outro destino a não ser o de assentamento de trabalhadores rurais sem terra e a Regularização Fundiária não consta como assentamento.

O MINISTÉRIO PÚBLICO, que é o guardião do Patrimônio Público e está sempre defendendo a Reforma Agrária em nossa região, em favor do pequeno produtor rural (Agricultura Familiar); seria bom que investigassem as ações que o Programa TERRA LEGAL vem desenvolvendo em áreas Desapropriadas basicamente na Colonização Oficial – Pic/Itaituba e Pic/Altamira. Com base em uma portaria, estão cadastrando grandes áreas e aglutinando lotes de 100,0 ha. (cem hectares); são atos administrativos que afrontam dispositivo legal (Estatuto da Terra – Lei 4.504/64).

Vulgo Patriota
-----------------
Remendo RP - O desabafo foi encaminhado por um leitor identificado por Patriota, e que enseja a mão pesada do MPF sobre as esquisitisses  que estão ocorrendo no trato com a questão apresentada. O espaço está aberto para o contraditorio de quem interessar.

Duda Mendonça fará marketing separatista no Pará

domingo, 26 de junho de 2011
Daniel Bramatti - O Estado de S. Paulo

O pequeno aeroporto de Redenção, no sudeste do Pará, teve um movimento atípico no último dia 9 de junho. Fazendeiros, comerciantes e empresários do setor imobiliário pousaram em jatinhos e helicópteros para se reunir na cidade com o marqueteiro Duda Mendonça. Na pauta do encontro, a conquista de corações e mentes para a causa da criação do Estado de Carajás.

Proprietário de terras e criador de gado na região, Duda é um entusiasta do desmembramento do Pará em três, com a criação de Carajás, no sudeste, e de Tapajós, no oeste. Em dezembro, haverá um plebiscito sobre o assunto, e o marqueteiro vai comandar a propaganda que os dois comitês separatistas farão em rede estadual de rádio e televisão nos 40 dias anteriores à consulta popular.

Duda dará o tom até da campanha no lado contrário à divisão. É que os defensores da manutenção das atuais fronteiras do Pará falam abertamente em imitar peças publicitárias que ele elaborou, nos anos 80, contra a divisão da Bahia - então uma bandeira levantada por grupos do oeste do Estado.

Na época, as emissoras baianas exibiram um vídeo em que a cantora Maria Bethânia dizia que dividir a Bahia seria como “separar irmão de irmão”. “É como separar a corda do pau, calar para sempre o berimbau. É como separar Castro de Alves, Rui de Barbosa, Dorival de Caymmi, Caetano de Veloso.”

Inspiração. “Vamos mostrar que não se pode separar o tacacá do pato ao tucupi, o Rio Amazonas do Rio Tocantins”, revelou Zenaldo Coutinho, secretário da Casa Civil do governo paraense e um dos articuladores do movimento pelo “não” no plebiscito.

Os antisseparatistas também buscam se cercar de argumentos econômicos, como contraponto ao tom emotivo que costuma marcar as campanhas de Duda. “Queremos levar o debate para o campo da razão”, disse Coutinho, para quem os adversários se mostram “ora apaixonados, ora oportunistas”.

O secretário, que é deputado federal licenciado pelo PSDB, faz uma distinção entre os grupos do oeste e do sudeste. “Em Tapajós existe uma consciência emancipacionista que remonta há muitos anos. A defesa de Carajás é feita sobretudo pelo grande capital local e se vincula a um processo recente de ocupação territorial.”

-QUE CULTURA!

sexta-feira, 24 de junho de 2011

SANTARÉM SEDIA ENCONTRO HISTORICO PRÓ TAPAJÓS

Santarém – Contando com a maioria dos prefeitos dos municípios que formam o futuro estado do Tapajós e entre esses vereadores de diversos municípios além de deputados Estadual e Federal, ocorreu neste dia 24, no auditório da Associação Comercial e Empresarial de Santarém o encontro dos entes envolvidos com o movimento pró Tapajós. Na ordem do dia, além da reformulação do Estatuto que da nova denominação ao movimento (Instituto Cidadão Pró Estado do Tapajós- ICPET), norteou diretrizes de luta e o organograma funcional e operacional da entidade.

Fez a apresentação do encontro o Deputado Federal Lira Maia, exortando aos presentes que a luta é de todos, e que nesse interim deve ser preterido vaidades e desejos pessoais, e sim o objetivo geral que é a luta pelo SIM no plebiscito vindouro, acrescentou que não deve ser colocado em discussão ou comentários pretensões de municípios em sediar a futura capital já que a luta que deverá ser travada é a garantia pela emancipação. Disse que na esfera federal temeu que o projeto coletivo do Oeste do Pará não lograsse êxito, e exultou em contentamento quando foi referendado a decisão para a realização do plebiscito.

Reportou-se em seguida o professor Edvaldo Bernardo que conduz e dirige os assuntos pertinentes pró Tapajós, desde o inicio, que descerrou comentários sobre a forma da eleição que se aproxima e considera que estamos começando nos preparar para que a eleição seja apenas na região ou em todo o estado, disse que Carajás que encontra-se na luta por sua emancipação contratou assessoria jurídica para caso a escolha seja em todo o estado ir até o Supremo para que seja apenas nas áreas de abrangência de Carajás. Ato continuo o Deputado Estadual Alexandre Von ao analisar a composição sugerida para o organograma teceu considerações que deve ser administrada a entidade por um Conselho Gestor composto dos prefeitos e presidente dos Poderes Legislativos, e sobre a luta do povo de Carajás, comentou que mesmo o Tapajós não tendo pensamento de fazer amparo judicial para garantir a eleição somente nos municípios abrangentes, o movimento pró Carajás, contratou assessoria jurídica por R$ 700.000,00 para defender o plebiscito com os municípios vinculados a sua região e se o sim prevalecer a assessoria receberá R$ 2.000.000,00 como honorários.

Fizeram-se presentes entre ao encontro dentre outras autoridades de destaque, prefeitos de Uruará, Trairão, Prainha, Almeirim, Altamira, assessorias dos prefeitos de Santarém, Jacareacanga, Rurópolis e além de diversos Vereadores de Santarém, representantes camerais de Altamira, Rurópolis, e outros municípios da região do Rio Amazonas e afluentes. Ponto injustificado foi a ausência dos Prefeitos ou seus representantes de Itaituba e Aveiro.

No organograma funcional Pró Tapajós na direção de condução do Instituto estão todos os prefeitos e presidentes de Camaras, e imediatamente abaixo sendo o diretor do desenvolvimento das ações está o professor Edvaldo Bernardo que comandará ações de controladoria nas áreas de Finanças, contábil, e jurídica tendo o Conselho Gestor a responsabilidade por captação de recursos financeiros, Coordenação politica, Mobilização e Marketing.

Todos foram unanimes em apelar aos municípios uma luta sem trégua pelo SIM criando seus comitês municipais ensejando apoio das respectivas prefeituras e entes políticos, acordando-se que esse movimento deve ser suprapartidário com todos coesos para pleno êxito.

Site italiano diz que Bernardo é a maior surpresa do Brasileiro

Futebol - 24/06/2011 16:49:00
O site jornal italiano Corriere dello Sport estampou uma matéria sobre o meio campo vascaíno Bernardo e apontou o jogador cruzmaltino como a grande surpresa deste começo de Campeonato Brasileiro.

Na publicação, os italianos contam a história de Bernardo no clube e definem o jogador como “um meio de campo que domina e organiza o jogo com inteligência e sabedoria, que joga como se fosse um veterano e seu papel de intérprete o tornou um dos melhores talentos do Brasileirão”.

A matéria italiana também conta um pouco da história do grande ídolo e atual presidente do Vasco, Roberto Dinamite, e enaltece o resurgimento do Gigante da Colina, desde a queda na Série B a conquista da Copa do Brasil.
Fonte: SUPERVASCO.COM - Respeite os créditos » Editada por Jessica Corais

Bernardo, applausi e 4 gol con il Vasco nel Brasileirao
E’ la sorpresa di questa prima parte del campionato brasiliano: 21 anni, è un centrocampista che organizza la manovra e arriva spesso al tiro. Nella scorsa stagione si era fatto apprezzare con la maglia del Goias: ventisei presenze e sette reti. Il suo cartellino è di proprietà del Cruzeiro. Dopo Casemiro del San Paolo, nel suol ruolo, è uno dei migliori under 21.

Tweet commenti NOTIZIE CORRELATE
Sigurdsson, un islandese
conquista la Bundesliga Martinuccio, che magie
in Coppa Libertadores Lamela prenota l’Italia
la Roma è in prima fila Daniel Carriço, talento dello Sporting Lisbona Invia ad un amico Stampa l'articolo › Speciale talent scout › Martinuccio, che magie ROMA, 24 giugno - Roberto Dinamite è stato uno dei centravanti più apprezzati, in Brasile, a cavallo tra gli Anni Settanta e Ottanta, quando le maglie erano ancora di lana e i numeri personalizzati erano un’esclusiva del calcio a stelle e strisce dei Cosmos e delle majorettes. Altri tempi: Roberto Dinamite ha giocato per una vita nel Vasco da Gama, segnando 894 gol fra campionato e coppe. Per pochi mesi, nella stagione 1979-80, aveva provato a consacrarsi anche in Spagna, nel Barcellona: otto presenze e due reti nella Liga, prima di riprendere l’aereo e di tornare a giocare allo stadio Sao Januario, diventato il suo tempio.

LA RINASCITA - Prima calciatore, con quarantasette partite e ventisei gol nella Seleçao, poi politico, passando dalla poltrona di consigliere comunale a quella di deputato (eletto per quattro volte). Ma Roberto Dinamite non si è mai separato a livello sentimentale dal Vasco da Gama, club che adesso guida da presidente e con il quale ha appena festeggiato la conquista della “Copa do Brasil” nella doppia finale (1-0; 2-3) con il Coritiba. Il Vasco da Gama è uno dei club più amati a Rio de Janeiro. Porta il nome del famoso esploratore portoghese, il primo a navigare intorno all’India. Il Vasco ha vissuto in tempi recenti anche fasi agitate: ha conosciuto la serie B, ha faticato a uscire dal limbo di una grave situazione debitoria. Ma ora sta ritrovando il prestigio e gli equilibri finanziari, proprio sotto il controllo di Roberto Dinamite, il presidente-manager di questa rinascita.



LA TRADIZIONE - Il Vasco, nella sua carta d’identità, può vantare una tradizione invidiabile. Ha vinto ventidue campionati carioca e quattro scudetti nella sua storia, oltre a una Coppa Libertadores nel 1998, contro il Barcelona di Guayaquil (Ecuador). Ha applaudito nel tempo campioni come Romario e Ademir, medaglia d’argento con il Brasile nel mondiale del 1950. Ha lanciato anche giovani molto promettenti, l’ultimo dei quali è stato Coutinho, diciotto anni, preso dall’Inter. Un fascino, quello del Vasco, legato anche alla sua maglia bianca con la banda diagonale nera e con la croce dell’ordine dei Gesuiti. Una squadra che è uscita dal buio anche grazie all’aiuto del tecnico Ricardo Gomes, che ha appena firmato un contratto triennale da ct dell’Arabia Saudita con un ingaggio di tre milioni di euro a stagione. Sotto la guida di Ricardo Gomes, quarantasei anni, ex difensore del Benfica, del Paris Saint Germain e della Fluminense, ha cominciato a farsi largo un giovane centrocampistra che in Brasile viene seguito con particolare attenzione. Si chiama Bernardo, ha ventuno anni ed è arrivato al Vasco da Gama con la formula del prestito dal Cruzeiro fino al 31 dicembre del 2011. E’ un mediano-regista che domina la scena davanti alla difesa: organizza il gioco, disegna la manovra con ordine e intelligenza, si muove con la saggezza di un veterano e nel suo ruolo è uno dei migliori interpreti, uno dei talenti più bravi del “Brasileirao”, il campionato nazionale. Dopo Casemiro, classe 1992, che ha preso il timone del San Paolo da un anno, in coincidenza con la cessione di Hernanes alla Lazio, Bernardo è uno degli under 21 di maggiore prospettiva.



IL RIFERIMENTO - Juninho Pernambucano è diventato uno dei consiglieri di Bernardo. La mezzala, che in Francia aveva vinto sette scudetti di fila con l’Olympique Lione, ha deciso a gennaio di tornare al Vasco da Gama per chiudere la sua carriera. Archiviata la parentesi in Qatar, nell’Al-Gharafa, Juninho Pernambucano ha riabbracciato il club che lo aveva aiutato a sbarcare in Europa nel 2001. Lui adesso fa il trequartista con Eder Luis (di proprietà del Benfica) e lavora alle spalle degli attaccanti Elton (rientrato dal prestito allo Sporting Braga) e Alecsandro. Una squadra che può contare sulla fascia destra anche sugli spunti, sulle accelerazioni, sui tagli di Diego Souza, ex Palmeiras e Atletico Mineiro. Se Juninho Pernambucano è il leader del Vasco, Bernardo è il playmaker che fa nascere l’azione e protegge la difesa. E’ forte nei contrasti, arretra di qualche metro e diventa un centrale aggiunto in alcuni momenti della partita. Ha senso tattico, di solito si occupa del numero dieci avversario, del giocatore con più fantasia. Non pensa soltanto a dettare i tempi della manovra, tampona e lotta. E quando riesce a trovare il corridoio giusto, prova a inserirsi e cerca la conclusione. In questa prima parte del Brasileirao 2011 ha realizzato quattro gol nelle prime cinque giornate: una doppietta contro il Cearà, nella partita inaugurale del torneo, e altre due reti all’America MG e al Gremio. Ha regalato anche un assist a Elton nella sfida persa per 5-1 con il Coritiba, trascinato da una tripletta di Anderson Aquino, classe 1986, un prodotto del vivaio dell’Atletico Paranaense.

LA STORIA - Bernardo Vieira de Souza è nato a Sorocaba, in provincia di San Paolo, il 20 maggio del 1990. E’ alto un metro e 77 per un peso- forma di 72 chili. E’ cresciuto nel Cruzeiro, vincendo a livello giovanile una campionato Sudamericano Under 17 nel 2007 e un campionato Mineiro nel 2009. E’ stato il tecnico Adilson Batista a promuoverlo in prima squadra, dopo l’infortunio di Wagner, il regista titolare. Il primo gol da professionista l’ha realizzato invece contro il Democrata Futebol, club di Sete Lagoas, nella stato di Minas Gerais. Nel 2010 è stato mandato a fare esperienza nel Goias: ventisei presenze e sette gol per Bernardo nel Brasileirao. Tre gli allenatori con i quali ha lavorato nella squadra “verdao”: Emerson Leao, ex portiere ed ex ct della Seleçao, Jorginho e Arthur Neto.

terça-feira, 21 de junho de 2011

-QUE CULTURA!

A VINGANÇA VEM A CAVALO

EM AVEIRO O AUTORITARISMO, MANDONISMO E RETALIAÇÃO
AINDA PARECEM INSEPULTOS

Aveiro - A  eleição recente de Ronilson Prado, que despertava para ser  no municipio  um divisor de aguas entre  o mandonismo, autoritarismo impregnado no decorrer dos tempos, e uma administração voltada para sepultar esses vicios que atentam contra a moralidade e gestão publica contribuindo para instituir-se  uma nova relação entre o Poder Executivo e os municipes indistintamente, começa a mostrar que o prefeito iniciou seus trabalhs no executivo confundindo-se e colocando de lado  a nova relação com o povo conforme plataforma apresentada em sua campanha.

Elias Junior em seu Jornal Eletronico denuncia a onda de perseguição que recrudesce no municipio, em cima de pessos que não se alinhavam politicamente com o prefeito eleito, e dessa forma um aliado do ex-candidato Eliezer, vigilante  de uma escola municipal pertencente ao quadro permanente da PMA,  Jaime Manoel Sarmento do Distrito de Brasilia Legal surge como uma das primeiras vitimas.

A denuncia da sórdida perseguição  contra o vigilante em particular, da-se tambem por motivos de preparativos  de sua excelencia, iniciar conchavos politicoa para contar com maior suporte politico junto ao Poder Legislativo, ja que Jaime Sarmento tem laços familiares com determinado cidadão que deve receber uma cadeira no Parlamento e o assedio politico apresentado por Prado está sendo instituido como de um Rolo Compresssor. É uma pena que isso volte a se repetir em Aveiro. Tudo outra vez!

Caso haja interesse, está aberto o direito do contraditório ao Prefeito.

COCAINA: CRAQUE PARAENSE PODERÁ SER BANIDO DO FUTEBOL

Vice-artilheiro do Campeonato Brasileiro, com três gols em cinco rodadas, o atacante paraense Jobson, do Bahia, está sendo julgado nesta terça-feira na Corte Arbitral do Esporte pelo flagrante com cocaína em exames antidoping no final do torneio de 2009. A audiência é na suíça Lausanne, em última instância, e pode até banir o atleta de 23 anos do futebol.

A Wada (Agência Mundial Antidoping) não aceitou a redução de sua pena de dois anos para seis meses, decidida por tribunal do Brasil, em 2010. Caso os auditores entendam ter havido reincidência, já que a substância foi encontrada em duas partidas há pouco menos de dois anos --pelo Botafogo, dono de seus direitos federativos, contra Coritiba e Palmeiras--, Jobson corre o risco de ser afastado definitivamente do esporte.

A defesa do jogador, porém, diz que a punição máxima seria de mais um ano e meio de suspensão. E que o resultado não tem data pré-definida, podendo ser ainda na sessão ou demorar até dois meses.

"Geralmente, são 30 dias", afirma um dos quatro advogados do atleta, Carlos Portinho. Desta forma, o camisa 11 do Bahia continuaria atuando normalmente no Brasileiro.
Durante julgamento no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), no Rio, Jobson admitiu ter usado crack. "Mas, pelo que tenho conhecimento, está limpo desde o segundo julgamento [em 29 de abril de 2010]", afirmou Portinho em entrevista ao jornal baiano "A Tarde". A defesa levará para a Suíça, onde o atacante se encontra desde domingo, provas do monitoramento feito por Bahia e Botafogo.

Portinho acredita que, se a pena não for mantida e o jogador precise ficar mais um tempo afastado, "o esporte perderá para as drogas". Ele explica: "Jobson tem um problema de saúde, não usou a droga para potencializar o rendimento. Caso o pior aconteça, a saúde dele estaria sendo relegada e uma recaída poderia acontecer", prevê. O advogado ainda sustenta que a própria Fifa considera a cocaína uma droga da sociedade, não do esporte.

Como jurisprudência, a defesa citará o resultado da audiência com um atleta francês, julgado em 2005. Por ter 17 anos na época, seu nome não foi revelado, mas o caso é idêntico. "Levaram em conta a questão da pouca experiência, pois, para a Fifa, a idade de formação do jogador é de 16 a 21 anos [quanto Jobson tinha quando seu exame acusou a sustância. Pegou seis meses", relata.

Antes de viajar, Jobson confessou aos repórteres no aeroporto estar apreensivo. "Não vou mentir. Dá um friozinho na barriga. Estou um pouco tenso para saber o resultado, mas estou feliz e confiante".

Perguntado sobre uma nova suspensão, respondeu: "Pô... eu ia ficar muito triste, cara. Não sei se minha cabeça ia aguentar e nem o que seria de mim".

Se não se livrar das acusações, Jobson terá o contrato rescindido sem ônus para o Bahia. (Fonte: Folha Online)
------
Foto RP

domingo, 19 de junho de 2011

GEMIDOS DE MAU AGOURO

INTROMISSÃO IMPRUDENTE E DESNECESSÁRIA
Caricatura meramente ilustrativa

Aveiro - Não se sustentam por falta de amparo legal, comentarios que causaram estardalhaço em Itaituba e gracejos em Aveiro do suposto interesse do Deputado Estadual Hilton  Aguiar em  contratar assessoria jurídica para cassar no tapetão os diplomas de prefeito e vice legitimamente conquistados por Ranilson e , eleitos sem maracutaia em eleição suplementar para o Poder Executivo aveirense.

Prado foi eleito prefeito consolidando a vontade da maioria dos eleitores que mesmo com artificios de seus adversários diretos obteve a maioria absoluta dos votos.

Cabe a Hilton Aguiar, cantar em outra freguesia, e ao invés de tentar tumultuar a vida politica em Aveiro; torna-se imperioso contratar boa assessoria juridica para cuidar de suas pendencias junto ao TRE, ja que as coisas estão evoluindo para o deputado ficar insone por longo tempo. E enquanto respira ares de parlamentar estadual H.A. deveria  ajudar a reconstruir Aveiro duramente castigada nos ultimos anos de desgoverno, ja que foi eleito não somente por Itaituba e sim pela região que compreendem os municipios do Tapajós e outros da área de influencia.

Este Blog está à disposiçao da assessoria do Deputado para se, interessar usar espaço para o contraditório.  
Breve, postaremos sob o titulo provisório de MARIA DE LOURDES FREIRE BRAGA, A PROFESSORA uma historia de amor e dedicação pela educação. Maria de Lourdes, historicamente é comprovado que foi a primeira mestra da Vila de Jacareacanga, iniciando seu trabalho educacional em 1.954, atravessando a epopeia de Haroldo Veloso até chegar em 1.988 onde perdera a guerra pela vida e pela educação para um agressivo Câncer uterino.

-Uma historia de amor pela arte de educar, e por Jacareacanga.

DADOS SOBRE O PARÁ DIVIDIDO

Segundo dados do Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (IDESP), consumada a divisão territorial do Pará, as variáveis demográficas, sociais e econômicas, ambientais, de infraestrutura e financeiras, do Pará, Tapajós e de Carajás, ficariam assim:

Territórios e população

De acordo com o estudo, na divisão, o Tapajós ficaria com a maior área territorial, 718 mil e 135,6 km2 (57%). Sua população seria de 1 milhão 146 mil habitantes, o que daria 1,6 pessoas por km2; seguido do Carajás, com 284 mil e 768,6 km2, (23%). Sua população seria de 1 milhão 546 mil habitantes, o que daria 5,4 pessoas por km2 e o Pará ficaria com 245 mil e 46 km2 (20%), Sua população seria de 4 milhões 888 mil habitantes, o que daria a maior concentração populacional, com 19,9 pessoas por km2,

PIB

Considerando os índices econômicos, o Pará ficaria com 56%, ou seja, R$ 32 bilhões e 652 milhões do Produto Interno Bruto (PIB); Carajás ficaria com 36%, ou R$ 19 bilhões e 506 milhões, e Tapajós ficaria com 11%, ou R$ 6 bilhões e 360 milhões do PIB.

Os municípios que comporão Carajás apresentaram maior incremento populacional médio anual nas últimas décadas: 9,4% de 1980 a 1991; 3,1% de 1991 a 2000 e 3,2% de 2002 a 2010. Esses crescimentos foram impulsionados pela implantação de projetos minerais e agropecuários principalmente nos municípios de Marabá, Parauapebas, São Felix do Xingu e Santana do Araguaia.

O grupo de municípios que comporão o Estado do Tapajós apresentou crescimento populacional médio anual na última década de 1,3% e no Pará o incremento foi de 1,9%.

O Pará teria ainda a maior concentração de pessoas residindo na área urbana, com 70,8% da população remanescente, segundo dados de 2010. Carajás teria 68,5% de pessoas na área urbana e Tapajós, 58,9% no mesmo ano.

O valor adicionado de serviços é preponderante no Pará (71%); Tapajós ficará com 59% e a indústria de Carajás também ficará com 59%. A produção de grãos agregaria um valor de R$ 250 mil no Tapajós, R$ 223 mil no Carajás e R$ 204 mil no Pará. As culturas industriais adicionariam um valor de R$ 796 mil no Pará, R$ 516 mil e R$ 214 mil, no Tapajós e Carajás respectivamente. A fruticultura geraria um valor de R$ 230 mil no Carajás, R$ 139 mil no Pará e R$ 110 mil no Tapajós.

O rebanho bovino ficaria concentrado no Carajás, com 10 milhões e 854 mil cabeças (64%); Tapajós ficaria com 3 milhões e 673 mil cabeças (22%) e o Pará ficaria com 2 milhões e 329 mil cabeças (14%). Já a avicultura ficaria concentrada no Pará, com 69%, restando 16% ao Tapajós e 15% a Carajás.

A produção leiteira prepondera no Carajás, com rebanho de 669 mil vacas ordenhadas e cerca de 450 milhões de litros de leite, agregando um valor de R$ 258 milhões. A produção extrativa madeireira seria partilhada entre a prevalência do carvão vegetal em Carajás, com 90 mil toneladas; de lenha no Pará (1.666m3) e no Tapajós (1.416m3). A madeira em tora se concentra no Pará (3.508m3) e 1.267m3 no Tapajós e 1.201m3 no Carajás.

O comportamento da balança comercial em 2010 refletiria US$ 9 bilhões e 242 milhões no Carajás, US$ 2 bilhões e 830 milhões no Pará e US$ 596 milhões no Tapajós.

Com relação aos indicadores da educação, o Pará teria a maioria da matrícula, tanto no Fundamental (63%), quanto no Ensino Médio (65%), dispondo de 63% dos docentes do Ensino Fundamental e 70% dos docentes do Médio, gerando uma média de 28 alunos por docente no Fundamental e 26 no Médio. O estado do Carajás ficaria com uma média de 29 e 32 alunos por docente, respectivamente. E o Tapajós apresentaria uma média de 26 alunos por docente no Fundamental e 31 no Médio.

Sobre a qualidade da educação básica, medida pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) em 2009, os municípios do Tapajós apresentariam a maior média (3,6) na 4ª/5ª série, seguido do Carajás com nota média de 3,5 e 3,3 do Pará. Quanto à qualidade do ensino na 8ª/9ª série, o Tapajós ficaria com uma nota média de 3,6, Carajás 3,4 e o Pará com 3,3.

Na área da Saúde, observando a taxa de mortalidade infantil (TMI), em 2009, o estado do Carajás teria uma taxa de 22 óbitos por mil nascidos vivos; no Tapajós a taxa seria de 20 óbitos por mil nascidos vivos e no Pará, 19 óbitos por mil nascidos vivos. Já a taxa de mortalidade geral (TMG) seria de 4, 3 e 3 óbitos por mil habitantes no Carajás, Tapajós e Pará, respectivamente.

A taxa de mortalidade materna, um dos problemas mais preocupantes do Estado, a média ficaria menor no Pará, com 59 óbitos por cada mil nascidos vivos, seguido do Carajás com 66 óbitos por mil nascidos vivos e do Tapajós com 81 óbitos por mil nascidos vivos, a mais elevada de todas.

Na área de segurança, as estatísticas dos crimes revelam uma taxa média no Estado do Pará, de 1297 crimes contra a pessoa a cada 100 mil habitantes; de 1678 crimes contra o patrimônio e 231 crimes violentos a cada 100 mil habitantes. Tapajós apresentaria taxas de crimes de 775 crimes contra a pessoa, 685 contra o patrimônio e 115 crimes violentos a cada 100 mil habitantes. E Carajás teria taxas mais moderadas de 374 crimes contra a pessoa, 592 crimes contra o patrimônio e 149 crimes violentos a cada 100 mil habitantes.

Sobre o mercado de trabalho formal, o Pará teria 669 mil postos de trabalho, Carajás teria 184 mil postos e Tapajós 97,8 mil postos. O número de estabelecimentos com vínculos empregatícios seria de 29,6 mil no Pará, 13 mil no Carajás e 6,9 mil no Tapajós.
-----------
 Fonte: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (IDESP)

DESABAFO

A Carta publicada ontem no Globo


Por Gil Cordeiro Dias Ferreira
Que venha o novo referendo pelo desarmamento. Votarei NÃO, como da primeira vez, e quantas forem necessárias. Até que os Governos Federal, Estaduais e Municipais, cada qual em sua competência, revoguem as leis que protegem bandidos, desarmem-nos, prendam-nos, invistam nos sistemas penitenciários, impeçam a entrada ilegal de armas no País e entendam de uma vez por todas que NÃO lhe cabe desarmar cidadãos de bem.

Nesse ínterim, proponho que outras questões sejam inseridas no referendo:
-Voto facultativo? SIM!
-Apenas 2 Senadores por Estado? SIM!
-Reduzir pela metade os Deputados Federais e Estaduais e os Vereadores? SIM!
-Acesso a cargos públicos exclusivamente por concurso, e NÃO por nepotismo? SIM!
-Reduzir os 37 Ministérios para 12? SIM!
-Cláusula de bloqueio para partidos nanicos sem voto? SIM!
-Fidelidade partidária absoluta? SIM!
-Férias de apenas 30 dias para todos os políticos e juízes? SIM!
-Ampliação do Ficha-limpa? SIM!
-Fim de todas as mordomias de integrantes dos três poderes, nas três esferas? SIM!
-Cadeia imediata para quem desviar dinheiro público? SIM!
-Fim dos suplentes de Senador sem votos? SIM!
-Redução dos 20.000 funcionários do Congresso para um terço? SIM!
-Voto em lista fechada? NÃO!
-Financiamento público das campanhas? NÃO!
-Horário Eleitoral obrigatório? NÃO!
-Maioridade penal aos 16 anos para quem tirar título de eleitor? SIM!
-Um BASTA! na politicagem rasteira que se pratica no Brasil? SIM !!!!!!!!!!!
---------
Recebido de  B.P. Araújo

quinta-feira, 16 de junho de 2011

A Gargalhada das Hienas

Itaituba - Sobretudo profundamente lamentável, o episodio de despejo que atingiu não somente o politico Silvio Macedo, como principalmente sua família e  amigos. Pior de tudo é que mesmo não se discutindo a decisão judicial, ja que decisão judicial é para ser cumprida e não discutida, é verificar que a politicagem  está tirando proveito da situação constrangedora para a família Paiva Macedo.

Comenta-se nas vias, becos, e esquinas da cidade e em alguns jornais eletrônicos, que para prejudicar Silvio Macedo, ocorrera armação perpetrada pelo politico Valmir Climaco, nitidamente para prejudicar seu opositor Silvio Macedo, e que teria nomeado ou contratado um intermediário para arrematar a residência, concorrendo para despeja-lo.

Silvio Macedo pessoa de boa índole com vasto circulo de amizade já foi empresário bem sucedido na região, também prefeito eleito do município e que apesar do constrangimento moral pelo despejo, e do prejuízo em perder sua residência de longas datas, não perdeu seus principais patrimônios que são a família, e seu nome, trocando em miúdos as hienas gargalham mas na verdade não conseguirão cravar os caninos em Silvio de Paiva Macedo. Ele é maior que a escória revanchistatoda junta.
ENQUANTO OS CÃES LADRAM, A CARAVANA PASSA!

A ASSEMBLEIA DOS ROEDORES

O RATO DE CHAPÉU
(*)Francisco Amaral

Na terra dos pedregulhos (pedras miúdas), com a intenção de se apossar de um grandioso queijo, um rato que se dizia poderoso por sua fama de malvado, conseguiu reunir diversos tipos de sua espécie e disse:

- É uma verdadeira injustiça nós vermos aquele enorme queijo naquela bandeja e não podermos dividir em partes iguais para que todos possam comer um pedaço. Eu proponho que nos unamos para combater aquele gato que se encontra de vigia!

Após o discurso democrático, a maioria dos ratos que já conhecia a fama do malvado não aceitou acompanhá-lo, mas outros menos avisados não pensaram duas vezes e toparam vestir a camisa da divisão do queijo. Ratos grandes e pequenos, pretos e brancos, velhos e jovens, fortes e fracos, do campo e da cidade aderiram à ideologia. Ninguém ligava para as diferenças existentes no grupo, porque todos estavam irmanados em torno de um sonho comum: um queijo enorme, amarelo, cheiroso, bem pertinho dos seus narizes. Comer um pedaço do queijo seria a suprema felicidade...

Mas o gato robusto e bem nutrido, de olhar tranqüilo, praticamente não dormia, vigiava o queijo que o dono, de vez em quando, retirava um pedaço para o consumo da família.

Apesar de não aparentar, o gato era pintado pelo rato líder como o mais malvado dos animais, o que fez com que os ratos passassem a odiar o gato. Quanto mais o odiavam mais irmãos se sentiam. O ódio a um inimigo comum os tornava cúmplices de um mesmo desejo: queriam que o gato sumisse para que o Rato de Chapéu administrasse a divisão do queijo.

Como o gato era cada vez mais estimado pelo dono do queijo, o rato malvado contratou uns cachorros para expulsarem o gato de perto do queijo. O aparecimento dos cachorros preocupou o dono do queijo já que os mesmos podiam afastar o gato da vigilância. O que o dono temia aconteceu. Numa bela manhã, os cachorros conseguiram afastar o gato do queijo.

Chegara o dia glorioso, e todos se lançaram ao queijo numa fome comum. Mas ao ver o queijo e a imensa quantidade de ratos famintos, o rato malvado revelou sua verdadeira intenção: Sentou em frente ao queijo e passou a dividi-lo: Um pedaço para a filha, outro para outra filha, outro para o cunhado, uma fatia para os camundongos que sabiam da armação e, assim foi fazendo a divisão, chegando a pegar alguns ratos para lhe ajudarem na administração do queijo. Mas, a maioria que chegou a pensar que lutava por uma causa nobre e justa, ficou de fora e revoltada. O Gato de Chapéu os teria enganado e todos estavam condenados a apenas ouvir falar do queijo, sem poderem se quer ver, muito menos provar.

OBSERVAÇÃO: Qualquer semelhança é mera coincidência.
---------
Remendo RP
1-O conto publicado no Blog do Amaral,  é um verdadeiro conto de fodas e está sendo encenado por aí, não precisa  queimar neurônios  para se ver o retrato fiel desenhdo às proximidades.

2 - O titulo "Assembleia dos Roedores" e ilustração (RP)

MEGA ACUMULADA

quinta-feira, 16 de junho de 2011
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 40 milhões no sábado

Nenhum bilhete acertou as seis dezenas do concurso 1.292 da Mega-Sena, sorteado na noite desta quarta-feira, e o prêmio acumulou.

Segundo estimativa da Caixa Econômica Federal, o próximo concurso, que será realizado no sábado (18), pode pagar R$ 40 milhões.

Os números sorteados em Itabaiana (SE) foram: 09- 11 - 23 - 30 - 31- 54.

Ao todo, 128 bilhetes acertaram a quina e devem levar R$ 22.773,34 cada um. Outras 10.397 apostas levaram a quadra e ganharão R$ 400,52 cada.

AZEITE DE OLIVA PREVINE AVC

quinta-feira, 16 de junho de 2011
Estudo indica que azeite de oliva pode reduzir riscos de derrame


Pessoas idosas que ingerem azeite de oliva correm menos risco de sofrer um derrame do que aqueles que não o fazem, sugeriu um estudo com mais de 7.000 franceses publicado nesta quarta-feira nos Estados Unidos.

Pesquisadores do Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica, em Bordeaux, França, acompanharam 7.625 pessoas de 65 anos de idade ou mais em três cidades -- Bordeaux, Dijon e Montpellier -- por um período de cinco anos.

Durante esse tempo, houve 148 derrames. Os indivíduos foram divididos em grupos de acordo com o seu consumo de azeite de oliva, indo daqueles que não consumiam nada àqueles que usavam o produto em molhos, em receitas e no pão.

Quando os pesquisadores levaram em consideração fatores como a massa corporal, atividades físicas e a dieta constataram que os consumidores "intensivos" de azeite de oliva tinham 41% menos risco de derrame comparados aos que nunca consumiam azeite.

"Nossa pesquisa sugere que uma nova série de recomendações de dieta precisa ser elaborada para prevenir derrames em pessoas de 65 anos ou mais," disse a autora do estudo Cecilia Samieri. - "Os derrames são tão comuns em pessoas idosas e o azeite de oliva pode ser uma forma barata e fácil de ajudar a prevenir isso."

As descobertas foram publicadas no Medical Journal of the American Academy of Neurology. (Folha Online)

DESCULPA ESFARRAPADA À LA CLIMACO

     "Tudo de errado que acontece na atual administração é culpa do Roselito. Se a ponte quebra, se a rua tem buracos, a culpa é do Roselito. É só isso que esse governo sabe dizer. Já se passou um ano e dois meses e as desculpas continuam. Já passou da hora de mudar essa conversa"  César Aguiar

terça-feira, 14 de junho de 2011

Breve, postaremos sob o titulo provisório de MARIA DE LOURDES FREIRE BRAGA, A PROFESSORA uma historia de amor e dedicação pela educação. Maria de Lourdes, historicamente é comprovado que foi a primeira mestra  da Vila de Jacareacanga, iniciando seu trabalho educional em 1.954, atravessando a epopeia de Haroldo Veloso até chegar em 1.988 onde perdera a guerra pela vida e pela educação  para um agresivo Câncer uterino.

-Uma historia de amor pela arte de educar, e por Jacareacanga.

AVE CÉSAR!

PREFEITURAVEIS DA CIDADE PEPITA
Itaituba – Rompendo com qualquer sistema de arranjo político que vise fortalecer o Poder Executivo, dado ao abandono das vias públicas e o ineficiente desenvolvimento das politicas sociais evidenciando descompromisso com os munícipes, e mantendo lisura e transparência em suas ações como parlamentar, confrontando-se com o sistema de abandono municipal defendido pelo Vereador Peninha, César Aguiar por seu desprendimento como vereador, pelo trabalho realizado, por não compactuar com o descalabro da administração municipal, acalenta sonhos de ser eleito prefeito do município. César Aguiar deve começar a entender que esse sonho não é privativo de seus anseios e configura-se cada dia mais com o sonho dos Itaitubenses, que almejam sepultar de toda sorte o sistema de (des)governo atual, que já fora repelido na eleição passada mas que disposições mesmo que legais, que fugiram do gosto popular permitiram que Valmir Climaco assumisse a Prefeitura. Ganhou a prefeitura contra o desejo da maioria dos eleitores. Isso foi referendado nas urnas.

Seria muita coragem para não dizer petulância Valmir tentar a reeleição, mas como em Itaituba até ururbu de baixo suja o de cima, acontece quase tudo. Sinceramente muitas pessoas de bem do município desejariam ver Valmir submetendo seu combatido nome nas futuras eleições, somente assim iria ser evidenciado toda a repulsa de um povo por um nome. A Administração Valmir Climaco atenta contra a solidificação do Estado Democrático de Direito, por vícios que se mostram insanáveis, é só ver a contenda com o MP, super salários, licitações fabricadas, favorecimentos funcionais etc.

É evidente que Eliene Nunes, e Dudimar Paxíuba consolidaram seus nomes como artífices em defender o povo também. Eliene tem base política fundamentada não somente no trabalho que executou na Secretaria de Educação do Governo Roselito, e mais na educação municipal que congrega não somente funcionários e sim todo um alunado que é formador de opinião. Dudimar Paxiúba o patinho feio da corrida à Câmara Federal, hoje é de fato e de direito Deputado Federal graças exclusivamente à vontade popular.

Após discussões de final de semana entre alguns eruditos da política que omite-se os nomes por cautela já que não autorizaram a divulgação, sobre os três políticos e suas ações, e intenções, discorrendo desde argumentos e artifícios que possam minar Eliene como Secretaria de Roselito, e sobre conchavos políticos e interferências inadequadas em diversos setores do Deputado Federal em Itaituba e região e fricções ou conchavos com o Governo do Estado que podem ocorrer com Dudimar, surge finalmente um nome de consenso entre os reunidos, que por seu trabalho, por não ter se contaminado com vicissitudes da política, começa esse embate com um corpo de vantagem: Cesar Aguiar!

O mais interessante de tudo é que os motivos que contribuiram para o  nome  César Aguiar estar em evidencia, não necessariamente ocorreu por  iniciativa do próprio em lançar-se candidato a candidato, e manifesta-se pela vomntade de correligionarios do politico e de parte do povo mesmo, e isso provoca em Cesar Aguiar  um misto de surpresa e gratidão por seu nome ser lembrado nas rodadas de discussões que versam sobre futebol, amenidades e política. Por enquanto o nome é César Aguiar e tal qual uma breve centelha que prenuncia um grande incêndio, o nome está se propagando... e isso é bom para Itaituba, é bom para a solidificação do Estado democrático de Direito, duramente atingido pela má gestão do Governo Climaco.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR


"AO VASCO TUDO OU NADA?

TUDOOOOOOOOOOOOOOOO!!!

ENTÃO COMO É QUE É? QUE É? QUE É?

CASACA! CASACA!

CASACA, ZACA, ZACA!

A TURMA É BOA!

É MESMO DA FUZARCA!

VASCO! VASCO! VASCO!"


"ÊÊÊ ÊÊÊ ÊÊÊ

Ô Ô ÔÔ

O VASCO É O TIME DA VIRADA

O VASCO É O TIME DO AMOR"


VASCO: "O CAMPEÃO VOLTOU!!!"


RIO - Foi dramático, foi sofrido, foi eletrizante. Foi tudo isso e um pouco mais. Após 90 minutos de muita emoção, o torcedor do Vasco soltou o grito de "o campeão voltou" da garganta, a plenos pulmões. O Coritiba venceu por 3 a 2 na noite desta quarta-feira, no Couto Pereira, mas não levou o título. O Vasco é o campeão da Copa do Brasil de 2011.

Alecsandro e Éder Luís marcaram os gols do Vasco, que ficou com a taça por ter vencido o jogo de ida, em São Januário, por 1 a 0. Bill, Davi e Willian fizeram os gols do Coxa.

A festa da torcida e a pressão inicial do Coxa r
eceberam um balde de água fria logo aos 12 minutos. Diego Souza deu passe primoroso para Éder Luís, que foi à linha de fundo pela direita e cruzou rasteiro. Alecsandro apareceu no meio da área e completou para o gol, abrindo o placar para o Vasco.

Os torcedores paranaenses sentiram o golpe e se calaram, enquanto a torcida vascaína fazia sua festa. O jogo parecia sob controle para o time de Ricardo Gomes, mas aos 29 minutos o Coritiba chegou ao empate. Após levantamento na área, Jonas escorou de cabeça e Bill apareceu na pequena área para, também de cabeça, completar para o gol.

O Couto Pereira pegou fogo. O Vasco parecia satisfeito em ir para o intervalo com o empate em 1 a 1, mas aos 44 o time paranaense conseguiu a virada. Rafinha aproveitou erro de marcação da zaga vascaína e, livre na área, bateu rasteiro. Fernando Prass defendeu com os pés e o rebote foi para o meio da área. Davi bateu forte para fazer 2 a 1 e tornar dramática a partida.

O segundo tempo começou tenso, com muitas faltas e discussões entre os jogadores. Recuado, o Vasco segurava o jogo e tentava gastar tempo. Quando atacou, foi mortal - com a colaboração do goleiro do Coritiba.

Eram 12 minutos quando Éder Luís ganhou da zaga e chutou de fora da área. A bola foi no meio do gol, mas Édson Bastos se passou e acabou aceitando. Frango paranaense e 2 a 2 no placar.

Se fosse um jogo normal, o Vasco estaria com uma mão na taça. Mas esta final não era um jogo normal. A partida era eletrizante e o Coritiba se recusava a se entregar. Aos 20, Willian soltou uma bomba de longe. A bola fez uma curva e entrou no ângulo. Golaço e 3 a 2 para o Coxa, que voltava a ficar precisando de apenas um gol para ser campeão.

O final ficou dramático. Bill chegou a ter boa chance ao receber livre na área, mas teve o chute travado por Anderson Martins. Na base da raça, o Vasco se defendeu como pode das investidas do Coritiba. O apito final veio como a redenção para jogadores e torcedores: Vasco campeão da Copa do Brasil de 2011.
-------
Remendo RP
Fui acometido por um misto de alegria e tristeza na noite de ontem por ocasião da conquista do Gigante da Colina:
ALEGRIA pela conquista do título
TRISTEZA, pela ausência de minha saudosa irmã, Walde Maria (vascaina apaixonada) que ja está no outro lado do caminho e na memória do Grande Arquiteto do Universo - Que bom se estivesses aqui minha irmã... iria ver voce em uma felicidade incontida partilhando alegrias.

domingo, 5 de junho de 2011

RANILSON PRADO É ELEITO EM AVEIRO SEPULTANDO DE VEZ O GORETISMO-SALESIANO

PRADO VENCE A ELEIÇÃO PARA PREFEITO E DESBANCA FUZICA E ELIEZER
Aveiro – De acordo com informações repassadas pelo amigo Giliarde do Escritório de Representação do Poder Executivo de Jacareacanga em Itaituba,  Ranilson Prado  acaba de consagrar-se Prefeito eleito do município de Aveiro, desbancando seus opositores Fuzica e Eliezer que quedam-se abraçados, na corrida à Prefeitura Municipal. Pelo andar da carruagem Fuzica deve deixar a vida publica ou esperança em comandar o Poder Executivo um dia. Sai de cena muito desgastado.

Com apoio político maciço do Deputado Federal Dudimar Paxiúba, e de outros entes  políticos do estado, e com forte aparato da maquina administrativa a seu favor Ranilson de fato e de direito é o prefeito de Aveiro sepultando definitivamente o Goretismo-Salesiano  que impregnava  a vida política do município a algum tempo e tentava se reerguer na candidatura de Eliezer.

Talvez outro fator que comprometeu a eleição de Eliezer foi o apoio recebido de Valmir Climaco prefeito de Itaituba, que  não fazendo nada em sua pátria o que faria em pátria alheia? Juntou-se a Gorete e deu no que deu lamenta Eliezer.

Apesar do candidato Eliezer oriundo das entranhas políticas do Goretismo  ser um referencial de respeito e profissionalismo,  era de se esperar que se eleito estaria politicamente geminado com a linha política do sistema ora sepultado, e o povo resolver preteri-lo.

Por outro viés em analisar a trajetória política de Fuzica  remete todo empenho e disposição para ser eleito tal qual um samba de uma nota só, constituiu sua plataforma política no município atacando e minando a base do Gorestismo sem empolgar sua base já que não tinha outros discursos que transformasse em captação de votos.

Voltando ao Prefeito eleito, cabe ao mesmo a grande responsabilidade em transformar o município mesmo com os parcos recursos que aufere com o FPM, investir nas políticas sociais e em infraestrutura  e para isso corredor político tem, já que em termos de relação estreita com políticos exercendo mandatos  tem e lhe sobram apoio tanto do Estado quanto na Capital Federal. Deve ter cuidado extremo exatamente por fartos  apoios políticos recebido para que não haja contrapartida através do já combalido erário publico à disposição do município.

Na verdade um dos fatores de êxito da eleição  de Prado foi a impressão que causou com a companhia de políticos de expressão regional e nacional, que poderão em curto espaço de tempo facilitar a busca por recursos nas esferas governamentais; mesmo  misturando em seu palanque de campanha com  pessoas  comprovadamente contestadas pela população e que no limiar  da eleição apareceram tal qual mesuras de mau-agouro.

MINEIRO NA MALHA FINA

Carzeduardo comenta com sua esposa, a Bastiana: - Muié, ricibi uma intimação da Receita Federar. Caí na máia fina!!! Ocê acha que devo comparecê à odiência com o fiscar, de botas e carça de sirviço, pra parecê mais simpre, ou de rôpa de saí, pra passá uma imagi de seriedade?  
- Home, vou dizê a mema coisa que minha mãe me falô quando preguntei prela si divia di usá carcinha di renda ô di seda, na noite de núpcia.
- E qué que foi que sua mãe falô? 
- Ela falô: Tanto faiz! Ele vai fudê ocê... de quarqué jeito.  

BRASIL: UM GIGANTE ESCRAVIZADO

OS MONOPÓLIOS E O ENTREGUISMO NO BRASIL
Por que estamos tão pobres?
 Rui Nogueira*

"O Brasil é um país rico!"
Isso ouvimos desde a infância. Porém, amargo contraste, temos 50 milhões de brasileiros entre a pobreza e a miséria. Por quê?

A exuberância acha-se patente nas selvas, na água, na extensão territorial, no litoral, nos minérios, na capacidade de produzir alimentos. Qual a razão de a grande maioria dos brasileiros ser constituída por gente tão empobrecida?

Há cinco séculos, as classes dominantes da Europa Ocidental instalaram portos comerciais (predatórios) protegidos por fortes, fortalezas e contingentes militares que submeteram e dizimaram populações inteiras na Ásia, África e na recém-descoberta América. No caso do Brasil, chegavam ao nosso litoral, retiravam o pau-brasil e o levavam para o exterior. Pura extração predatória. Sucederam-se ciclos de exploração com total vantagem para os estrangeiros. Para os nativos, nada! Saíam a madeira, os diamantes, o ouro. Ficava apenas buraco e miséria. O regime de escravidão tinha o endosso doutrinário e religioso.

Os negros e os índios (combustível abundante, energia muscular utilizada na produção) eram considerados "sem alma". Jamais houve qualquer prurido ético ou religioso com relação às atrocidades cometidas pelo colonizador, responsável pelo mercantilismo colonial.

Transformação colonial
Em meados do século 19, a exportação de mercadorias cedeu lugar à exportação de capital, agravando-se a exploração da força de trabalho. Passo seguinte: a forma colonial avançou no mundo, do ponto de vista da espoliação econômica e da dominação política sempre mais sofisticadas, em condições nunca vistas anteriormente.

Os métodos novos de espoliação da nação - que não podem existir sem que se acentue a exploração da força de trabalho nativa e a dominação política - fizeram aprofundar o sistema colonialista moderno (semicolonialismo), impedindo a nacionalização dos monopólios estrangeiros. Cresceram de forma espantosa a "ajuda" ao país colonizado em condições econômicas e políticas determinadas, através de acordos desiguais, de tal forma que deixaram de existir assuntos internos, economia nacional e sistema de governo autenticamente brasileiro.

Em conseqüência, a pilhagem de matérias primas evoluiu para a rapina mais descarada e mil vezes mais desastrosa. As relações semifeudais e semicoloniais foram acentuadas e o velho Estado apodreceu de vez.

Os espoliadores externos, no seu processo de apodrecimento, sempre se consideraram "salvos", os entes superiores; os "escolhidos"; os que "estão com o bem". Os outros, fora do conluio com os seus desígnios, "estão com o mal": podem ser massacrados, torturados, dizimados com pólvora, tiros, tecnologias militares superiores ou com bloqueio de alimentos, medicamentos e mesmo fechamento das fronteiras comerciais. Muita covardia social.

Os escolhidos, os "do bem", podem de toda maneira penalizar os que são donos das riquezas naturais que eles precisam!

Observem! Permanecemos subjugados num sistema de exploração colonial.

E viva a exportação
Os sucessivos ciclos econômicos sempre têm atendido o interesse externo: cana-de-açúcar, pedras preciosas, metais, café, soja. Exportar é a solução: exportar matéria prima e bruta; o que tivermos do melhor, até exaurirem completamente nossas reservas. Tudo.

Não devemos esquecer. Exportar todas as coisas com preços estabelecidos pelos dominantes importadores, que nunca permitem aos que trabalham diretamente na produção ter condições para criar os filhos com dignidade e exercer o direito de levar a vida usufruindo as riquezas que possuem e produzem.

Somente neste sórdido convívio internacional os compradores é que estabelecem os preços para os "vendedores"!

A geração de riquezas é controlada pelos estrangeiros monopolistas.

Tudo o que visa o mercado interno é dificultado, inclusive a agricultura de subsistência. O que envolve uso de tecnologia é sistematicamente bloqueado, para persistir na dependência dos países dominantes.

Extraíamos diamantes para eles, mas até as ferramentas necessárias tinham que vir de fora. Na época da primeira colônia, foi proibido haver teares no Brasil para, obrigatoriamente, comprarmos tecidos no exterior (Inglaterra).

Na atualidade, o que é fabricado no Brasil está passando cada vez mais para mãos estrangeiras. Estamos agora apenas embalando produtos vindo do exterior. Isso mesmo! Pilhas, canetas, baterias, produtos farmacêuticos etc.

Sórdido mercantilismo colonial que nos limita a exportar minérios, matérias-primas, bens naturais, a preço vil - antigamente, por imposição dos países coloniais; hoje, rigidamente controlados por grandes corporações financeiras transnacionais.

Povo do trabalho
O Brasil indígena foi invadido, e nele se instalou uma colonização fortemente controlada pela "Europa civilizada".

E pensar que nesta terra desenvolveu-se uma extraordinária nacionalidade universal, resultado da mistura de todas as raças, sem predomínio de nenhuma! Confiar nesse povo não é esperança sem fundamento. Temos todos os pré-requisitos para a empreitada de construir uma grande nação. O Brasil é rico: dos 21% de água potável do mundo, 15% estão na Amazônia. Mesmo no restante do país há um imenso potencial hidrelétrico. Temos a maior biodiversidade do planeta; as maiores reservas florestais do mundo; enormes extensões de terras agricultáveis, propiciando várias safras no mesmo ano; recursos minerais gigantescos: 98% do nióbio usado no mundo saíram do Brasil. A nossa superfície, coberta de vegetação e água em abundância, sob o sol que a atinge inteiramente, forma o grande e mais econômico reator do mundo. Por isso, somos a Nação do Sol.

Mas o Brasil está sendo invadido. E o invasor estrangeiro não faz uso ostensivo de tropas nem de armas. Tampouco precisa oficialmente fincar sua bandeira de chita no alto do Corcovado, embora o faça em vários lugares, comercialmente... A invasão e a ocupação já ocorreram sem muito alarde para os cúmplices coloniais, subjugando importantes setores do nosso sistema produtivo.

Episódio simbólico ocorreu na privatização do Banespa. Mal terminara a negociação, a bandeira do Estado de São Paulo, no topo do edifício sede, foi substituída pela da Espanha, de onde procedia o comprador. O fato repetiu-se com uma indústria cafeeira, na cidade mineira de Três Corações. Assim invadidos, empobrecemos cada vez mais. Salários em queda, empresas desaparecendo, desemprego aumentando, obsessão por arrecadação para o pagamento de juros.

Os alimentos de produção local - batata-doce, cuscus, cará, tapiocas - foram substituídos pelo trigo importado.

O biscoito que comíamos na infância não é mais brasileiro - é francês.

A manteiga natural que podia ser feita em casa, ou por qualquer cooperativa rural, agora dá lugar a misturas de sebos, recebendo o nome de margarina, com marcas registradas, sendo reconhecidas a propriedade e a fabricação estrangeira.

A gordura de coco e a banha de porco, tão ao gosto dos mineiros, foram substituídas pelos óleos refinados das empresas internacionais de alimentos.

Soluções para eles
Há toda uma propaganda voltada para a saúde. Mas não é intrigante o fato de uma solução, qualquer que seja, caminhar em benefício das grandes corporações transnacionais e estrangeiras?

As grandes corporações estrangeiras, juntamente com o sistema econômico e político que conseguiram criar no Brasil, desprezam as sementes selecionadas e o uso de sementes naturais para obrigar a aquisição de sementes transgênicas - as que não dão descendência nas mãos de corporações transnacionais.

Só plantaremos aquilo que determinarem e pelo preço que quiserem. Se resolverem não fornecer sementes suficientes, com a estrutura de produção de sementes naturais destruídas, o que acontecerá? Teremos mais fome em nosso país!

A água é o bem essencial da vida. Somos 70% de água. Pois há uma sistemática campanha contra o abastecimento de água ainda estatal. Querem que só haja água industrializada - purificada e adicionada de sais - na mão de transnacionais (Nestlé-Vivendi, Coca-Cola). Chegam ao absurdo de desmineralizar águas nobres e terapêuticas (São Lourenço) para adicionar sais e terem uma marca registrada, vendida mais cara que a gasolina. Estamos pagando ao estrangeiro para beber a nossa água.

E vão remetendo cada vez mais lucros para o exterior e nos empobrecendo.

Escravidão (quase) oculta
Nesse processo, há necessidade de sempre mais dólares, adquiridos por empréstimos a juros extorsivos, venda das nossas reservas de matérias primas a preço vil e a alienação das empresas nacionais.

Os bancos, cada vez mais dominados pelo capital estrangeiro, atuam até no varejo. Hoje, esses bancos chegam a ter agência em subúrbios. Essas operações jamais foram da competência dos negócios transnacionais, mas hoje são utilizadas para recolher até a nossa poupança interna. As taxas cobradas pelos serviços são extorsivas. E o desemprego entre os bancários é enorme.

O Banespa, agora Santander, tem a custódia dos recursos do estado mais rico do país. Numa palavra, todo o dinheiro do Estado de São Paulo é depositado em banco estrangeiro, que paga os funcionários estaduais e municipais e os mantém reféns de imenso esquema de empréstimos.

O estrangeiro, fazendo as vezes de banco estadual, recebe impostos e recolhe, como explica o Dr. Adriano Benayon**, 1,6 bilhão de reais provenientes da poupança dos paulistas, por mês. Lucro enorme auferido aqui, com todas as regalias, transformado em dólar e remetido para o exterior.

Então, exportar beneficiando quem? Solução, progresso, para quem?

Toda a exportação tem total isenção de impostos. Qual o benefício que esse tipo de exportação traz para a vida do brasileiro? Nenhum. Sai a riqueza, ficam o buraco e a miséria.

As usinas siderúrgicas, próximas de Belo Horizonte, produzem ferro gusa, quase todo exportado. Consomem a lenha das nossas matas e esvaem as nossas reservas de minério para beneficiar apenas o empresário e as corporações estrangeiras.

Se um brasileiro compra ferro gusa ao lado de uma siderúrgica, paga quase 30% de impostos. O que foi exportado: nada!

Até quando vamos suportar esta política perdulária e imbecil?

Suco de laranja exportado não paga imposto, mas recolhe 30% de taxa na entrada do USA. Ou seja, o nosso país não se beneficia em nada para investimentos e melhoria da vida dos brasileiros. Mas o governo do USA se apropria de fortes valores do esforço de produção dos brasileiros. Por isto empobrecemos. Produzimos muito, trabalhamos cada vez mais, enquanto a riqueza se esvai sempre mais de nossa terra.

Há uma dupla exploração que chega a ser sórdida. Os preços do que exportamos são aviltados e o "comprador" nos obriga a receber apenas o que está disposto a nos pagar. Onde existe isto? Se o leitor for comprar um pãozinho na esquina, não poderá impor o preço de meio centavo, por exemplo. O padeiro jamais venderia.

Simples. É que no cenário internacional inventaram uma balela, um dito sem fundamento, um tal de "mercado" dominado pelas corporações financeiras e legitimado pela força - que estabelece os preços para as mercadorias dos países dominados e espoliados.

O minério de ferro de Carajás, com teor de mais de 60%, é exportado pelo preço do minério com 30% de teor - a 7 dólares a tonelada - com total isenção de impostos. Navios gigantescos estão transferindo enorme quantidade de minérios para depósitos criados no USA e próximo ao Japão, estocando reservas estratégicas que são nossas.

O manganês do Amapá, oriundo da Serra do Navio, com o elevado teor de 46%, foi todo transferido e estocado em território do USA. O nióbio - que quase só existe no Brasil, sendo fundamental para fabricar turbinas e foguetes - é exportado a 17 dólares a tonelada. Mais de 90% do nióbio mundial saem do Brasil.

Até o final da Segunda Guerra, praticamente todos os rádios do mundo tinham cristal de quartzo brasileiro, o de melhor qualidade. Pois ele é exportado a 35 centavos de real, o quilo, com isenção de impostos.

O melhor exemplo para mostrar o nefasto mercantilismo colonial, que nos é imposto pelas lideranças políticas, é o café. O preço da saca, tipo exportação (de melhor qualidade) oscila; mas, como todos os produtos primários, segue uma tendência baixista. Uma saca de 60 quilos, exportada a 40 dólares, com isenção de impostos, ao ser torrefada reduz-se a 48 quilos de café em pó. Vendida como café expresso no USA, a 1,75 dólar a xícara, rende 11.760 dólares à cafeteria. Lá, os assalariados, embora explorados também, sobrevivem em condições muitas vezes superiores aos dos nossos trabalhadores, até o limpador de latrina. Aqui, o brasileiro que colheu o café ganha dois reais por dia, salário de miséria. Para o sistema empresarial, é uma situação mais lucrativa que possuir escravos, pois não têm que fornecer roupas, abrigo e comida ao trabalhador. Que estranha liberdade é essa de ser trabalhador num país colonizado!
_____________

*Dr. Rui Nogueira, freqüentemente solicitado para proferir palestras em todo o país, é médico e escritor. Autor de Servos da moeda; Petrobras, orgulho de ser brasileiro e Nação do Sol.

**Adriano Benayon, doutor em economia pela Universidade de Hamburgo, Alemanha, autor de importantes artigos e livros sobre economia. Assíduo colaborador de A ND.
_________________
Título e ilustração RP